terça-feira, 10 de julho de 2012

Chizén Itzá - México











2012.07.10 - Chizén Itzá - México
Pirâmide de Kukulcán
Esta incrível cidade Maia não devia mesmo ficar de fora da lista das novas 7 Maravilhas do Mundo, os maias realmente eram um povo impressionante, com muito conhecimento sobre os movimentos dos astros e seus reflexos nas definições das estações do ano e calendário construído por eles.


O mais legal de Chizén Itzá é que tudo ali tem um sentido e uma lógica vital para os maias, seja na marcação do calendário solar, fonte de vida e espiritualidade para eles, seja também nas diversas funções dos membros das cidades, cercados por muita religiosidade e costumes nada convencionais (envolvendo sacrifícios humanos e disputas "sadias" entre tribos).

Escadaria da Pirâmide sendo parcialmente restaurada

Logo na entrada vislumbramos toda beleza da Pirâmide de Kukulcan, maravilhosa contrução que desponta como principal ponto do local, apesar de castigada pelo tempo e principalmente pelos conquistadores em busca de ouro (sendo que pouco ou nada acharam).

Suas escadas, esculturas e cortes são de impressionar, ela foi construída em 20 anos e possui toda uma função de relógio solar, marcando claramente a chegada dos solstícios e equinócios através das faixas de luz solar que surgem pelo corpo da pirâmide em determinados dias do ano.



Templo dos Guerreiros

Outra coisa muito legal é o fato de, ao ficar de frente para uma de suas escadarias e bater palmas, o som das palmas ecoa pela pirâmide, especificamente pela câmara no seu topo, retornando o som típico de uma das aves sagradas para o povo Maia, o Quetzal.

Vale muito a pena investir um tempo para ficar admirando e curtindo a pirâmide, é muito bonita. Logo ao lado da Pirâmide de Kukulcán temos o Templo dos Guerreiros, repleto de colunas e algumas ruínas do templo original, bom para fotos ;-)


Campo do Jogo de Pelotas

Caminhando um pouco mais, vimos o campo de jogo de pelota típico dos maias, neste jogo o objetivo era "encestar" uma pelota, os jogadores representavam suas cidades e era considerada uma grande honra participar dos jogos, pois era uma forma de homenagear os deuses, como resultado o grande vencedor tinha sua cabeça decapitada e ostentada como oferenda partos deuses.





Templo Maia
O local deste jogo também tinha suas especificidades, como o fato de se poder conversar a uma longa distancia sem a necessidade de gritar, devido à acústica local favorecida pelos movimentos dos ventos. Genial!!

Um ponto "bem" negativo para a visita a Chizén Itzá é o fato do local, dentro e fora, estar cheios de vendedores "ambulantes", é um verdadeiro mercado de pulgas e atrapalha bastante o passeio o assédio constante na tentativa de se vender qualquer coisa. Compreensível, mas chato pra caramba... se você der atenção ou fazer contato visual, aí ferrou...


Plantação de Agave (para produção da Tequila)

Bom, depois de conhecer Chizén fomos para uma cidade próxima chamada Valladolid, lá almoçamos uma bela comida típica de Yucatán, para quem gosta de temperos e apimentados (moi) é uma prato cheio. Já de barriga cheia, fizemos uma parada para conhecer nosso primeiro cenote. Beeeeem basicamente, os cenotes são formações de água doce que ficaram "enclausurados" por desgastes de seus tipos de rochas com o tempo, e formam poços dentro de cavernas e grutas, são lindos demais e podemos nadar livremente, desde que estejamos sem nada químico no corpo, protetor solar, desodorante, etc, pois muitas das comunidades locais utilizam a água dos cenotes para diversos fins.



Realmente vale demais visitar Chizén Itzá e conhecer melhor a cultura e modo de vida dos maias, mais um povo antigo que impressiona demais, assim como nossos amigos Incas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário