quarta-feira, 20 de maio de 2015

Estocolmo - Suécia











2015.05.20 - Estocolmo - Suécia

Vista de Riddafjärden e ilha Kungsholmen


Estocolmo é uma cidade modelo para a Europa, o que dizer para os demais lugares do mundo? Incrível como tudo parece funcionar em perfeito equilíbrio, coordenado, organizado e sem perder o charme e a beleza em momento algum. A cidade é formada por 14 ilhas, de diversos tamanhos e interligadas por pontes ou por trajetos em barcos. Cada uma das ilhas tem sua própria característica e conjunto de atrações que faz valer a pena investir bons dias em Estocolmo.

Lago ligando as ilhas Langholmen e Södermalm


A começar pelos transportes, é super tranquilo fazer os passeios entre e inter ilhas tendo como opção diversos meios, bicleta, metrô, barco, ônibus e até ir a pé mesmo para curtir. Taxi em Estocolmo nem pensar, não vale a pena mesmo!! O transporte público é super pontual (aquela coisa do ônibus até ficar esperando no ponto se está adiantado, apenas para cumprir os horários estabelecidos, sempre que vejo dá uma inveja danada...).

Dicas:

1. O metrô é excelente, muito frequente e leva para todo o lado, vale a pena comprar o cartão que vale por um determinado período ao invés de comprar cada passagem por vez, eu usei o de 72h região A Full (3 dias) e me valeu perfeitamente, cobre todas as áreas turisticamente necessárias, pode acreditar.

2. O cartão também vale para usar alguns dos barcos, é uma ligação muito usada pelos suecos e muito prática e agradável de usar também. Para determinadas ilhas, como a Djugarden, onde estão os muses Vasamuseum, Nordiska Museum, Abba Museum, parques de diversões, etc.

3. A bicicleta também é uma excelente opção, você pode comprar o cartão em uma 7eleven ou até mesmo no hotel e utilizar as bikes públicas espalhadas pela cidade. Funciona assim, você compra o cartão (2 opções: seasonal card que custa 350 SK ou para 3 dias que custa 165 SK) e vai direto para um dos pontos, valida eletrônicamente e pega uma bike por 3h, pode deixá-la em qualquer outro ponto da cidade e depois pegar outra novamente. Sério, andei umas 2h e passei em diversas ilhas tranquilamente, muito gostoso (afinal o visual é incrível) e prático. A segurança então, nem se fala... sossego total.


Ciclovia ao longo do lago em Södermalm

Bom, sobre Estocolmo, a cidade floresceu e cresceu a partir da idade média, entre altos e baixos conforme o estilo dos monarcas e condições exteriores, foi considerada um exemplo e referência cultural na Europa, tendo uma posição estratégica muito importante ao estar na ativa rota comercial marítima da região, foi alvo de muita pressão o que também gerou pontos fortificados para a defesa da cidade e da realeza. Chamada de "cidade na água", "cidade na ilha", "cidade em pontes" e "rainha das águas", justifica todos os nomes pela sua característica formação em diversas ilhas, o visual é lindo e cheio de áreas verdes, canais, lagos, bosques, parques e praças. Qualidade de vida tende a infinito aqui.

Ruas estreitas de Gamla Stan

Explorar Estocolmo passa obrigatoriamente por Gamla Stan, onde está a cidade velha (Old town), onde tudo começou desde a fundação da cidade, creditada ao regente Birger Jarl, em todos os mapas Gamla Stan é vista como a ilha central. Ali estão localizados o suntuoso Palácio Real, a bela catedral Storkyrkan, belas igrejas e, o que achei mais legal, muitas e muitas ruas estreitas para se caminhar, com bares, praças, restaurantes, lojinhas e cafés, tudo muito agitado desde manhã até altas horas. De verdade é difícil ficar cansado de caminhar pela Old Town, nada mal ser o ponto de partida e chegada de cada dia de passeio...rs...

Stortorget, restaurantes e bares no centro de Gamla Stan


O Palácio Real cumpre magnificamente o papel de suntuoso local de formalidades da família real que, apesar de não morar ali (residem em uma outra ilha próxima a Estocolmo), o utilizam para cumprir diversos eventos da agenda. Lindos salões, recheados com mobílias luxuosas, lustres de cair o queixo, paredes recheadas de obras de arte e pinturas de antigos regentes e tetos trabalhados, uma visita que sempre vale a pena fazer.

Mas o legal mesmo do Palácio e a Capela Real (Slottskyrkan), realmente diferente e requintada, inaugurada no século XVIII e contendo também um belo órgão no estilo rococó. Vale também conferir o museu subterrâneo Tre Kronors em estilo medieval e o curto para interessante Tesouro Real (com algumas jóias da coroa). Nos arredores do Palácio se pode também conferir troca de guarda, precisamente executada ao som da banda da guarda real.

Interior da Storkyrkan, altar decorado em prata


Bem próximo ao Palácio está a catedral Storkyrkan, espetacular e repleta de peças de beleza singular, vale destacar seu interior de colunas de tijolos, dando de cara um visual medieval, o belo altar feito de esculturas em prata e a impressionante escultura de São Jorge e o Dragão feita em madeira, demais!! Particularmente gostei bastante da história do Parhelion, um fenômeno testemunhado em Estocolmo em 20 de abril de 1535 onde surgiu no céu 6 grandes círculos luminosos que foi interpretado na época como um sinal do fim dos tempos, fazendo com que todos corressem para as igrejas (aí seria tarde já não é...), este fenômeno tem um quadro pintado em uma das paredes da Storkyrkan. Muito legal!!

São Jorge e o Dragão (esculpido em madeira), na Storkyrkan








The Parhelion

Ainda em Gamla Stan, visitei a Tyrkakyrkan, uma igreja germânica muito bonita, onde assisti um concerto composto por coral e órgão, que demais!! Lembrei dos concertos que vi em Praga, muito bom! Vale ficar atento para a programação colocada na frente das igrejas e não perder a oportunidade. Bom, fazer as compras é pela Old Town mesmo, tem lojinhas de todos os tipos, mas vale bater perna para achar o que realmente é autêntico e que você goste, eu comprei um clássico Dalahorse para decorar a sala de casa! Mas tive que andar bastante para achar uma peça bacana e, principalmente, sueca! Os restaurantes também são ótimos, sempre é difícil sair da malha turística na hora de comer, mas na medida do possível foi bem no centro. Recomendo os pratos suecos que misturam carnes (porco, almôndegas), batatas e molhos picantes com molhos mais doces baseados em Lingonberries, de verdade são excelentes!!

Canal unido a Riddarfjärden, ponte ligando Gamla Stan com Noormalm


Bem próxima a Gamla Stan está a ilha Riddarholmen, onde vale visitar a igreja Riddarholmskyrkan, igreja medieval onde são sepultados os nobres e relativos há séculos, inclusive contendo o túmulo do lendário rei sueco Magnus Ladulas e sua esposa. Também pertinho está a ilha Helgeandshomen com o belo Parlamento dominando o ambiente, esta ilha liga também Gamla Stan a Norrmalm, parte da cidade mais modernizada com teatros, shoppings e lojas de grifes.

Frente do Parlamento, ao fundo Grand Hotel em Blasieholmen


O grande lago Riddafjärden separa as ilhas de Södermalm e Kungsholmen, um visão linda e ótima para acompanhar com um bom passeio de bicicleta ou caminhada. Em Kungsholmen está o imponente Stadshuset (City Hall), um lugar imperdível que, além de sede dos principais debates do município, é o local onde anualmente no dia 10 de dezembro se entrega o Prêmio Nobel (John Nash R.I.P.). Começando pelo seu exterior, vale uma voltinha completa ao seu redor para ver os jardins na beira do lago, sua fachada repleta de tijolos (são aproximadamente 8 milhões de tijolos usado no Stadshuset) e a homegaem ao regente Birger Jarl.

Jardins do Stadshuset

Homenagem a Birger Jarl, fundador da cidade no século XIII


Dentro, destacam-se o representativo Salão Azul (que na verdade é vermelho) onde se celebra a premiação do Nobel e o impressionante Salão Dourado, coberto totalmente por mosaicos feito com vidro e folha de ouro, a visão é de tirar o fôlego tanto pela arte empregada quanto pelo valor de tudo aquilo. Na parede está representada uma mulher como a "Rainha do lago Mälaren" significando Estocolmo se impondo sobre as demais cidades de outras nações.

Salão Dourado, dentro do Stadshuset


Dicas:

1. Vale, como sempre, ficar atento aos horários dos museus, que em sua maioria vai das 10h-17h, período bem curto mesmo. Não há a necessidade de comprar com antecedência, poucas filas e organização plena para fazer as visitas.

2. Muitos museus estão concentrados e próximos entre sí, principalmente na ilha de Djurgarden, então vale planejar fazê-los juntos para otimizar os passeios.

Cultural Day estabelecido, levantei super cedo e tomei o metro+barco (ver dica do cartão) para a ilha Djurgarden para ver, principalmente, o Vasamuseum. Nesta ilha estão muitos parques e museus, tudo bem próximo e ideal para investir em um longo dia cultural e relax, de verdade.

Fiquei absolutamente impressionado com o Vasamuseum, o navio Vasa está ali inteirinho, que incrível ver de perto um navio tão lendário, encomendado pelo Rei Gustavo II para encher os olhos da nação e impressionar os adversário, afundou na sua primeira viagem após navegar por pouco mais de 1km no ano de 1628. Foi localizado no século XX e depois de um longo projeto foi retirado em 1961, muito bem preservado devido às condições de baixa salinidade no Mar Báltico, evitando maior deterioração do navio de madeira. Sem comentários, imperdível!!! Além do navio o museu construído ao seu redor traz muito da sua história e detalhes sobre sua decoração única na época.

O lendário navio Vaza


Próximo ao Vasamuseum está o Nordiska Museum, estabelecido em um lindo palácio. Não visitei o Nordiska, pois optei em ver o Historiska Museum, com peças da antiguidade Viking e da história da Suécia, achei demais aprender sobre o modo de vida dos vikings e sua influência cultural na história escandinava. O Historiska já fica em Östermalm, mas dá para fazer o caminho a pé em 15 minutos.

Canais, bicicleta e vista para a Old Town. Estocolmo total!


Incrível a qualidade de vida em Estocolmo, de verdade para se impressionar e dar inveja, muitos canais e lagos, a todo momento se pode ver as pessoas praticando esportes (caminhada, corrida, ciclismo, canoagem), usando o transporte público despreocupadamente, com segurança e eficiência. Muito educados e sem problemas em ajudar e se comunicar (em inglês). Encontrei algumas pessoas no meu caminho para Estocolmo e ao falar sobre meu destino ouvi 3 vezes a mesma frase: Ohh, Stockholm is nice!! Pura verdade...

Dicas:

1. Vale para vários lugares, mas especialmente na Escandinávia o período do ano entre final do Outono e o Verão são os melhores para visitar, não apenas para fugir do frio (para quem não gosta), mas principalmente porque os dias rendem demais, amanhece ao redor das 3:30h e só vai anoitecer por perto das 23:15h (vide foto).

2. Chegando em Estocolmo, no aeroporto de Arlanda, não se desespere pois não haverá taxistas duvidosos para grampear sua carteira, ou qualquer sensação de insegurança, você pode pegar o primeiro transporte para a estação central (trem, ônibus) e de lá se mover para qualquer lado, tranquilamente. Existe, para quem quiser mais conforto, um ônibus mais confortável que sai do aeroporto e passa perto de diversas estações também, chama-se Flygbussarna, custa 119 SK (~US$ 15) e pode ser pago com cartão de crédito no próprio ônibus.

Enjoying Stockholm from sunrise to sunset!!! And on and on and on and on...

Anoitecer em Estocolmo (horário local 23:15h)


























Nenhum comentário:

Postar um comentário